Entrar


Entrar

Você esta aqui: Institucional

Faça sua Doação, Salve Vidas

 

Instagram

Galeria de Vídeos

OncoEventos

Hospital faz 'II Capacitação de Enfermeiros em Sinais e Sintomas do Câncer'




O Hospital de Câncer de Barretos realizou a segunda edição da “Capacitação de Enfermeiros em Sinais e Sintomas do Câncer Infantojuvenil”. O evento aconteceu no Barretos Country Hotel e teve o objetivo de ajudar no diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil, treinando mais parceiros na identificação dos sintomas.

Cerca de 300 enfermeiros das 500 cidades que fizeram a caminhada “Passos que Salvam” no ano passado participaram do encontro. Os profissionais foram convidados para a capacitação a fim de que possam ser orientados e habilitados e colaborem com a identificação do tumor de forma precoce. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, mais rápido as crianças e adolescentes serão encaminhados ao Hospital, aumentando assim as chances e cura.

Durante todo o dia os enfermeiros tiveram palestras com profissionais da unidade infantojuvenil do Hospital de Câncer de Barretos. Isso, segundo a coordenadora da campanha, Naima Kathib, faz com que os participantes se tornem referência na cidade onde trabalham, além de criar também acesso direto com a equipe da instituição, facilitando, assim, o envio de exames e a discussão dos casos.

A enfermeira da Secretaria de Saúde da cidade de Novo Progresso, no Pará, Eliane Borges da Silva, participou pela primeira vez do evento. Para ela, a iniciativa ajuda a aprimorar os conhecimentos, já que a oncologia é algo distante da região norte do país. “A maioria das nossas crianças vai pra Belém e lá tem muito atraso. Essa ação vai facilitar o feedback entre a equipe e a população. Eu vou poder repassar um pouco do que aprendi aqui. A falta de conhecimento ou de comunicação pode fazer com que a criança seja diagnosticada tarde”, afirmou.

Segundo a gerente de enfermagem da unidade infantojuvenil do Hospital, Débora Rebollo Campos, o tratamento da criança com câncer é multidisciplinar, por isso, é preciso do médico e de toda a equipe atenta aos sinais e sintomas. “O enfermeiro é o que mais passa tempo com a criança ou o adolescente. É ele que tem mais tempo para ouvir o que o paciente tem ou está sentindo. De um ano pra cá, da primeira capacitação até hoje, já sentimos diferença. Quanto mais pudermos facilitar o começo do tratamento, mais tempo ganhamos para o paciente, aumentando as chances de cura”, disse.

O câncer Infantojuvenil
Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), estima-se que mais de 70% das crianças com câncer possam ser curadas quando ocorre o diagnóstico precoce. De acordo com o diretor médico da unidade, Luiz Fernando Lopes, 12.500 novos casos da doença são diagnosticados anualmente no Brasil. A expectativa é de que até 2020 este número aumente em 30%.