70-412 640-916 |  70-489 210-451 1z0-144 CAS-002 CISSP CWSP-205 EX200 |  70-697 70-347 |  200-125 |  FC0-U51 PMI-001 400-051 70-534 |  70-486 |  cas-002 |  300-115 640-916 |  2V0-621D 040-444 1Y0-401 SSCP 200-105 JN0-102 IIA-CCSA NS0-506 712-50 DEV-401 101 70-461 GISF MB2-713 70-480 9L0-012 JN0-332 700-039 400-351 642-997 70-410 70-532 EADA10 1z0-218 70-534 CSM-001 300-075 |  300-475 640-916 642-999 1z0-809 |  642-889 MB5-705 VCP550D 642-035 MB2-710 300-075 70-462 |  4A0-107 70-486 70-463 640-875 200-120 |  PMP 1K0-001 CEH-001 300-085 1z0-804 1z0-054 70-488 cissp |  70-332 PCNSE7 700-801 1z0-058 210-260 400-051 |  JN0-633 300-135 |  840-425 EX200 |  cism |  GCIH SPHR 70-411 70-534 |  700-001 1V0-605 642-980 MB2-712 352-001 70-680 1z0-333 648-232 70-384 220-901 C2090-560 EX200 |  700-037 101-400 N10-006 599-01 101 |  1z0-897 Educadoras debatem sobre as novas famílias com os colaboradores do Hospital - Hospital de Câncer de Barretos

Entrar


Entrar

Você esta aqui: Institucional

Faça sua Doação, Salve Vidas

 

Instagram

Galeria de Vídeos

OncoEventos

Educadoras debatem sobre as novas famílias com os colaboradores do Hospital

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou em 17 de maio de 1990 a homossexualidade da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID). Isso significa que a homossexualidade deixou de ser considerada uma patologia.

Desde que isso aconteceu, a data virou símbolo da luta pelos direitos da população LGBT e, por isso, comemora-se o “Dia Internacional de Luta Contra a Homofobia e a Transfobia”. Para celebrar a data, o Hospital de Câncer de Barretos realiza a Semana da Diversidade, com palestras e discussões sobre o tema.

Nesta quarta-feira (17.05), três educadoras participaram de um debate com os colaboradores da instituição sobre a percepção das novas famílias. Foram convidadas a psicopedagoga, Valéria Rosseto; a professora e coordenadora da licenciatura em Pedagogia do Unifeb, Lucia Aparecida Parreira, e a professora e doutora da Unesp de Franca (SP), Maria Cristina Piana.

Segundo Maria Cristina, é preciso parar para refletir sobre a vida e as práticas feitas pelo ser humano em sociedade quando se trata de família. “Todos nós temos família. Eu costumo dizer que falar de família é algo familiar. Temos diferentes tipos de família e com tamanhos variados. Família nada mais é, como dizem alguns autores, que a associação de pessoas que escolhem conviver por razões afetivas e assumem o compromisso de cuidar do outro”, afirmou.

Já a coordenadora do curso de Pedagogia da Unifeb falou sobre os vários tipos de família existentes e sobre os desafios desses núcleos. “A família é algo necessário e a pluralidade só fortalece as famílias. Precisamos respeitar e conviver com a diferença. Família é onde há respeito e amor. Ela é a primeira instituição que nos ajuda no nosso desenvolvimento como ser humano”, explicou Lúcia.

Para encerrar a palestra, a psicopedagoga Valéria Rosseto mostrou vídeos de casais homoafetivos que adotaram crianças e falou um pouco sobre como as escolas podem contribuir com as novas famílias. “A escola tem um papel fundamental de ajudar esses pais ou essas mães nessa caminhada”, disse.